Artigos

Doença Celíaca e Suplemento Alimentar

Com o acompanhamento nutricional, o tratamento pode repor as deficiências nutricionais da doença celíaca com suplemento alimentar adequado. Saiba mais

Muito confundida com os sintomas da alergia ao trigo e da sensibilidade ao glúten, a doença celíaca trata-se de um distúrbio genético, inflamatório, que acomete a parede do intestino delgado, prejudicando a absorção de nutrientes e provocando sintomas horríveis, além de fraqueza e baixa imunidade. É portanto, uma doença autoimune.

Esse distúrbio ocorre sempre que os pacientes consomem algum alimento que tenha em sua composição o glúten, formado por gliadina e glutenina, presentes no trigo, no centeio e na cevada.

Quando não tratada de forma adequada, a doença celíaca implica em outras doenças como osteoporose, infertilidade, distúrbios neurológicos, doenças autoimunes e, em alguns casos, até mesmo em câncer. Por isso, deve-se buscar o acompanhamento frequente e sempre necessário da(o) nutricionista).

E quais são os sintomas da doença celíaca?

No sistema gástrico:

  • Dor, inchaço, gases
  • Prisão de ventre e / ou diarreia
  • Perda de apetite
  • Náusea, vômito

No sistema nervoso / cerebral

  • Dores de cabeça recorrentes
  • Diminuição da sensação nos nervos periféricos
  • Ansiedade, ataques de pânico
  • Depressão

Demais sistemas do corpo

  • Fadiga
  • Erupção cutânea com comichão (dermatite herpetiforme)
  • Infertilidade inexplicada e aborto espontâneo
  • Anemia por deficiência de ferro e outras deficiências nutricionais
  • Artrite

Quais são os grupos de risco da doença celíaca?

  • Pacientes que tenham algum caso da doença na família;
  • Pacientes portadores de diabetes tipo 1 ou outras doenças autoimunes;
  • Pacientes portadores de síndrome de Down.

Que tipo de alimentos devem ser evitados?

Ao fazer compras, é indispensável que o paciente verifique muito bem os rótulos dos produtos, a fim de perceber a presença ou não de trigo, aveia, centeio ou cevada em sua composição, ou mesmo, se a expressão “CONTÉM GLÚTEN” está presente na embalagem.

Os pacientes que sofrem com a doença celíaca, devem manter-se longe de alimentos como pão, torrada, bolacha, biscoito, bolos, macarrão, croissant, donuts, pizza, hambúrguer, cachorro-quente, embutidos (salsicha); além de:

  • alguns tipos de queijos;
  • sorvetes industrializados
  • sopas desidratadas;
  • temperos prontos;
  • barrinhas de cereal e cereais;
  • suplementos nutricionais;
  • bebidas maltadas (cerveja, uísque, vodka, gin);
  • levedura de cerveja;
  • molhos como maionese, shoyu, molho branco, ketchup, e outros;
  • alimentos como cuscuz, sêmola de trigo, triguilho e gérmen de trigo.

E quais alimentos podem ser consumidos?

Se você já está desesperado(a) achando que vai sofrer sem poder saborear nada, muita calma. Alguns alimentos podem facilmente substituir a dieta proibida em virtude da doença celíaca. São esses:

  • Sopas apenas com vegetais e cremes sem farinha de trigo. Se engrossadas com legumes, é melhor;
  • Pão de milho, de bata, de arroz e de soja (sem glúten);
  • Féculas e Farinhas de arroz, amido de milho (maisena), mandioca, fubá, de soja, polvilho, milho, flocos de arroz;
  • Frutas e vegetais sem qualquer impeditivo;
  • Sucos naturais, chás, cafés (sem glúten);
  • Azeite, óleo de linhaça, óleo de uva,
  • Carne de boi, frango, porco, peixes, ovos e frutos do mar;
  • Feijão, lentilha, ervilha, grão de bico, soja;
  • Oleaginosas como amendoim, amêndoas, castanhas, caju, avelãs e outras.

Qual tratamento e os cuidados que se deve tomar com a doença celíaca?

A única forma de tratar a doença é promover mudanças na dieta e no estilo de vida. Passar a abrir mão de alimentos com preparações muito elaboradas, por exemplo, e dar preferência à alimentos frescos ou preparados de forma mais simples.

O paciente celíaco também não deve consumir alimentos que tenham sido embalados ou preparados em equipamentos onde foram embalado alimentos com glúten.

Ao se dirigir a um restaurante, é importante sempre verificar se o mesmo possui no cardápio, pratos sem glúten. Uma dica importante, dentro de casa é prestar atenção aos utensílios que possam ter sido utilizados para preparar alimentos com glúten. Se forem reutilizados sem uma lavagem e higienização, podem implicar nos desconfortos já citados.

E claro, nunca abra mão de manter um acompanhamento periódico com a(o) nutricionista, a fim de manter o corpo sempre forte, com uma dieta personalizada e que leve em consideração as carências nutricionais que a doença celíaca certamente promove no organismo.

E os suplementos alimentares? Recuperam os nutrientes perdidos?

Como a doença celíaca impede no organismo a absorção de muitos nutrientes importantes, a(o) nutricionista poderá indicar o consumo de suplemento alimentar, como intervenção integrativa, capaz de complementar a ausência de:

  • Minerais: Ferro, cálcio, magnésio, zinco e selênio;
  • Vitaminas: Complexo B, A, D, E e K; B12, ácido fólico, etc;
  • Probióticos;
  • Enzimas Digestivas e
  • aminoácidos.

Entre em contato!

Não se esqueça de agendar a sua consulta para verificarmos a qualidade de sua alimentação e se não há carência de alguns nutrientes.

Entre em contato comigo, agende uma consulta sem compromisso e se quiser, venha fazer o teste de bioressonância quântica.

E caso conheça alguém que passa pelos mesmos problemas, indique o meu consultório. Estou aqui para ajudá-los:

Consulta nutricional presencialmente ou on line.  Telefone 11 99228-8515.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *